domingo, 20 de maio de 2012

Noções de Cartografia


Noções básicas de Cartografia



Cartografia: É um conjunto de estudos e operações científicas, técnicas e artísticas que, tendo como base os resultados de observações diretas ou a análise de documentação já existente, visa a elaboração de mapas, cartas e outras formas de expressão gráfica ou representação de objetos, elementos, fenômenos e ambientes físicos e socioeconômicos, bem como sua utilização.



Orientação: pontos cardeais



A necessidade de localizar-se e orientar-se no espaço geográfico é de grande relevância para o homem e suas atividades em diferentes períodos da humanidade. Todos os meios de orientação, desde a utilização de astros e estrelas até o GPS (Sistema de Posicionamento Global), contribuíram com as navegações em busca de novas terras, com as rotas comerciais, guerras e muitas outras aplicações.

Existem diversas formas de orientação, uma delas é a dos pontos cardeais. Pontos cardeais correspondem aos pontos básicos para determinar as direções, são concebidos a partir da posição na qual o sol se encontra durante o dia. Os quatro pontos são:



* Norte (sigla N), denominado também de setentrional ou boreal;

* Sul (S), chamado igualmente de meridional ou austral;

* Oeste (O ou W), conhecido também como ocidente;

* Leste (E), intitulado de oriente.

Para estabelecer uma localização mais precisa são usados os pontos que se encontram no meio dos pontos cardeais. Esses pontos intermediários são denominados de pontos colaterais, são eles:

* Sudeste (entre sul e leste e sigla – SE);

* Nordeste (entre norte e leste - NE);

* Noroeste (entre norte e oeste - NO);

* Sudoeste (entre sul e oeste - SO).

Existem ainda maneiras mais precisas de orientação, oriundas dos pontos cardeais e colaterais. Nesse caso, refere-se aos pontos subcolaterais encontram no intervalo de um ponto cardeal e um colateral, que totalizam oito pontos. São eles:

* norte-nordeste (sigla NNE)

* norte-noroeste (NNO)

* leste-nordeste (ENE)

* leste-sudeste (ESE)

* sul-sudeste (SSE)

* sul-sudoeste (SSO)

* oeste-sudoeste (OSO)

* oeste-noroeste (ONO)

Para inserir todos os pontos apresentados foi criada a rosa dos ventos, chamada também rumos e rosa-náutica.



Localização: coordenadas geográficas, latitude, longitude e altitude.



"Para que cada ponto da superfície da Terra possa ser localizado num mapa, foi criado um sistema de linhas imaginárias chamado de Sistema de Coordenadas Geográficas. A coordenada geográfica de um determinado ponto da superfície da Terra é obtida pela interseção de um Meridiano e um Paralelo" (IBGE. Atlas Geográfico Escolar. p. 17. 2002).

Veja abaixo alguns itens importantes nas coordenadas geográficas:



Paralelos

O principal paralelo é o Equador, que divide a Terra em duas partes iguais: hemisfério norte (setentrional) e hemisfério sul (meridional).

A partir da linha do Equador, traçada a igual distância dos polos, traçamos os demais paralelos.

Existem 180 paralelos, sendo 90 ao norte e mais 90 ao sul do Equador (0°). Cada paralelo equivale a 1°. Além do Equador, outros quatro paralelos recebem nomes especiais: dois trópicos e dois círculos polares. No hemisfério norte, temos o Círculo Polar Ártico (situado a 66° 33’ LN) e o Trópico de Câncer (situado a 23° 27’ LN). No hemisfério sul, o Trópico de Capricórnio (23° 27’ LS) e o Círculo Polar Antártico(66° 33’ LS).



         Os paralelos indicam a latitude de um lugar.

Latitude – É o afastamento, medido em graus, da linha do Equador a um ponto qualquer da superfície terrestre. Ela vai de 0° a 90° e pode ser norte ou sul. A Suécia, por exemplo, é um país de elevada latitude; e o Brasil, um país de baixa latitude.

O Equador tem 0° de latitude e é o ponto de partida para calcular a latitude de um lugar. A latitude máxima é a dos polos, que corresponde a 90° (N ou S).



Meridianos - Meridianos são linhas imaginárias que cortam perpendicularmente os paralelos e vão de um polo a outro. Existem 360 meridianos, 180 a leste e 180 a oeste do Meridiano de Greenwich (que é o meridiano de 0° ou de origem). Cada meridiano representa 1° grau.



Meridiano de Greenwich - Greenwich tornou-se um meridiano referencial internacionalmente em 1884, devido a um acordo internacional que aconteceu em Washington, isso para padronizar as horas em todo o mundo, Greenwich foi escolhido por “cortar” o observatório Astronômico Real, localizado em Greenwich, um distrito de Londres.



Longitude – É o afastamento, medido em graus, do meridiano de Greenwich a um ponto qualquer da superfície terrestre. Ela vai de 0° a 180° e pode ser leste ou oeste.



Altitude - Designa a distância em metros medida na vertical desde o nível médio das águas do mar até um determinado lugar. A altitude é positiva quando o lugar está acima do nível do mar e negativa quando está abaixo.



Representação: leitura, escala, legendas e convenções.



Leitura dos mapas

Na representação da superfície terrestre, os cartógrafos usam uma linguagem própria — linguagem dos mapas, ou linguagem cartográfica.

Por meio dos mapas, podemos obter informações sobre o fenômeno geográfico representado e tirar nossas próprias conclusões.

Além do significado dos símbolos utilizados (legenda), os principais elementos que devemos levar em conta na interpretação de um mapa são:

* a orientação indicada;

* a escala em que está construído.



A orientação no mapa: A maior parte dos mapas apresenta uma rosa ventos ou uma seta que indica onde está o norte. Não havendo essas indicações, devemos saber que o norte está na parte superior do mapa.

 


Escala:


Podemos definir escala como a relação entre o tamanho representado no mapa e o tamanho real na superfície terrestre.

Os dois tipos de escala mais utilizadas são a numérica e a escala gráfica.



* Escala numérica: É expressa por uma fração (razão ou função), na qual o numerador representa a distância no mapa e o denominador, a distância na superfície real.



* Escala gráfica: É uma linha reta graduada, na qual se indica a relação com as distâncias representadas no mapa. Por exemplo: 1 cm= 100km



OBS.: Quanto maior é a escala, menor é a área representada e com muito mais detalhes.



Fusos horários



O movimento de rotação da Terra gera o dia e a noite, e também a diferença de horário nos diversos pontos longitudinais da Terra.

O globo terrestre é dividido em 24 pontos longitudinais. Cada ponto corresponde a 1 hora. Assim dividindo os 360° do globo, em 24 horas de duração o resultado é 15°, ou seja, a cada 15° que a Terra gira, passa-se 1 hora. Cada um dos 24 pontos longitudinais corresponde a um fuso horário.

O meridiano de Greenwich é o meridiano de referência, a partir dele se acertam os relógios, pode ser horas a mais se nos direcionarmos para um fuso horário ao leste, ou horas a menos se mudarmos a um fuso ao oeste. Isto ocorre porque a Terra gira de oeste para leste.



Por exemplo: a hora oficial do Brasil está atrasada 3 horas em relação a Greenwich.